Secretário de Estado realça “importantes” investimentos realizados por Cabo Verde no domínio da segurança marítima

O secretário de Estado das Finanças assegurou hoje que a segurança marítima é uma das preocupações de Cabo Verde tendo realçado “importantes” investimentos realizados, nomeadamente as instalações dos sistemas de identificação automática e de monitorização de navios.

Alcindo Mota teceu estas considerações quando presidia a abertura da 9ª Reunião da Rede dos Comandantes e Oficiais de Segurança das Instalações Portuárias da Associação de Gestão de Portos da África Ocidental e Central (AGPAOC), que acontece de hoje a quarta-feira, na cidade da Praia.

Na ocasião, felicitou a Empresa Nacional dos Portos de Cabo Verde (Enapor) pela organização e realização do evento, agradecendo igualmente a AGPAOC pela escolha do país para acolher esta reunião.

Segundo disse, Cabo Verde tem uma “forte dependência” dos transportes marítimos, no que concerne ao abastecimento e de tráfego de passageiros, sublinhando que estes desempenham um papel crucial na conectividade e na unificação do mercado cabo-verdiano.

“Um dos principais objectivos de Cabo Verde é tirar partido da sua localização estratégica no Atlântico Médio, transformando-se numa plataforma marítima entre os continentes europeu, africano, América do Norte e América do Sul, valorizando o potencial da economia azul”, apontou.

O governante mostrou que em 2023, os nove portos de Cabo Verde movimentaram cerca de 7.900 navios, em torno de 2,7 milhões de toneladas de mercadorias, 86.000 contentores, 1,5 milhões de passageiros e mais de 86.000 turistas de cruzeiros.

“A segurança marítima é uma das preocupações do Estado de Cabo Verde. O Governo tem adotado diversas medidas para fazer face às ameaças, por forma de mitigar o sentimento de insegurança e criar também parcerias regionais e internacionais no combate aos diferentes tipos de ameaças que impendem sobre os nossos portos”, afiançou.

Neste sentido, destacou importantes investimentos já realizados no arquipélago no domínio da segurança marítima, como instalações dos sistemas de identificação automática de navios, dos sistemas de monitorização de navios, dos sistemas de socorro, dos sistemas de monitorização do tráfego e ainda do centro de operações de segurança marítima, conectando assim as redes internacionais.

O secretário de Estado das Finanças argumentou que os portos são estruturas estratégicas do desenvolvimento de qualquer país e a segurança marítima constitui um dos pilares da segurança interna e externa de qualquer país.

Augurou pleno sucesso a esta reunião contando que contribua para o fortalecimento da rede e da segurança marítima e portuária da região, assim como a segurança, a previsibilidade e a competitividade dos portos e para o desenvolvimento harmonioso dos países participantes.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us