Seis países e pelo menos 35 empresas em feira de energias renováveis

Seis países e pelo menos 35 empresas vão participar da III edição da Feira Internacional de Energias Renováveis e Eficiência Energética que Cabo Verde realiza entre 24 e 26 de março, na Praia, anunciou hoje fonte oficial.


“Além das empresas cabo-verdianas inscritas, estão Portugal, Alemanha, Senegal, República Checa, Canadá e outras regiões da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental [CEDEAO]”, afirmou Angélica Fortes, coorganizadora da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), em conferência de imprensa, na cidade da Praia, para informar sobre a realização da III edição da Feira Internacional de Energias Renováveis.

Segundo a mesma fonte, vão participar no evento seis países, incluindo Cabo Verde, e até agora já estão inscritas 35 empresas, sendo 80% cabo-verdianas, 6 % portuguesas e 12% de outros países.

Além das exposições, a mesma responsável avançou que vai decorrer um programa abrangente de atividades paralelas com temáticas e painéis de debate “muito pertinentes” sobre o setor que considera estar “mais desenvolvido” no arquipélago.

“Haverá muitas novidades a apresentar nesta feira a nível de exposições, novas empresas estão presentes no setor com novas tecnologias”, apontou.

O ministro da Indústria, Comércio e Energias cabo-verdiano, Alexandre Monteiro, disse que o principal objetivo do evento é promover o programa de transição energética no país.

“A realização desta feira vai ao encontro com as políticas do Governo para o setor energético que é criar um espaço importante de comunicação e de promoção de negócios essenciais para o desenvolvimento das energias renováveis e de eficiência energética no país”, afirmou.

Sob o lema “Para uma Economia Verde, Soluções Limpas e Eficientes”, a feira é organizada FIC, em parceria com os ministérios da Indústria, Comércio e Energia e das Finanças e Fomento Empresarial.

De acordo com o ministro, Cabo Verde tem um “ambicioso” programa de transição energética e reafirmou as metas estipuladas pelo Governo de chegar em 2030 com 50% de eletricidade produzida a partir de fontes renováveis e 100% em 2040.

Em relação à mobilidade elétrica, a meta do país é alcançar 100% de veículos movidos com energia proveniente de fontes renováveis em 2050.

“Neste contexto, estamos a trabalhar para tornar o sistema energético mais eficiente na produção, na distribuição e no consumo de energia. Uma política energética focada na redução da forte dependência de importação de combustíveis fósseis, promover e desenvolver as energias renováveis”, traçou o ministro.

Atualmente, o país tem cerca de 20% de penetração de energias renováveis na rede e tem vários projetos em curso, como um programa de massificação da microprodução e incentivos fiscais e aduaneiros, para a meta de atingir metade de energias limpas em 2030.

O Governo estimou anteriormente que para atingir esse objetivo sejam necessários investimentos de 780 milhões de euros.

 

Lusa

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest