ACL considera que Prémio de Mérito Migrante é o reconhecimento do trabalho da associação

A presidente da direção da Associação Caboverdeana em Lisboa (ACL), Filomena Vicente, considerou esta sexta-feira, 30, que a atribuição do Prémio de Mérito Migrante mostra que o trabalho que organização tem feito está sendo reconhecido.

Em declarações à Inforpress, em Lisboa, a líder associativa reagia assim ao Prémio de Mérito Migrante, na categoria “Movimentos Associativos”, que a ACL recebe hoje numa gala promovida pela Associação Lusofonia Cultura e Cidadania (ALCC).

“O trabalho é imenso, as pessoas que estão na direção são fantásticas. É um prazer, é bom, é um sinal que reconhecem os esforços que estamos a fazer. Os 53 anos foram cumpridos com esta causa da associação, feitos das outras direções, sendo uns melhores e outros menos bem”, disse.

Filomena Vicente considerou que o enquadramento financeiro da associação não bom, porque se auto-sustenta sem nenhum apoio, o que fica “difícil fazer melhor” e que o trabalho podia ser melhor, mas não vai-se endividar para depois a associação “não conseguir cumprir com os as suas obrigações”.

“Estamos a “empurrar com a barriga” durantes esses dois anos, só com o apoio dos sócios, amigos, alguma outra entidade portuguesa, assim como do embaixador Eurico Correia Monteiro, muito atento, mas acho que o prémio é para a associação. É um consolo saber que alguém admirou o trabalho que fazemos”, frisou.

Para além da ACL, na categoria “Movimentos Associativos”, vão ser premiados a Associação Mudança e Representação Transcultural (AMRT) e a Associação ProAbraçar.

Na categoria “Líderes e Dirigentes Associativos”, o prémio vai para Eunice Correia (Angola), Maria Smith (São Tomé e Príncipe) e Carlos Viana (Brasil).

Na categoria “Empresários e empresas” serão premiados Janaína Silva, José Alberto A. Bouça e Pati Lemos (Brasil), e Vale da Rosa (Portugal), na “Cultura” serão Sílvia Nazário (Brasil) e Victor Hugo Mendes (Angola), na “Política” será Romualda Fernandes (Guiné-Bissau?) e na “Educação” o prémio vai para Luís Sinate (Moçambique).

Ao todo, são 14 personalidades, empresas e instituições a receberem o prémio que visa enaltecer o percurso profissional, pessoal ou associativo de pessoas migrantes e de instituições por elas lideradas em Portugal, tem seis categorias (“Movimentos Associativos”, “Líderes e Dirigentes Associativos”, “Empresários e Empresas”, “Cultura”, “Política” e “Educação”).

A cerimónia de atribuição do Prémio Mérito Migrante, financiado pelo Alto Comissariado para as Migrações e com o apoio da Assembleia da República, vai decorrer esta noite no Auditório António de Almeida Santos na Assembleia da República, no âmbito dos 15 anos de trabalho da ALCC em prol das comunidades migrantes.

A sessão de abertura da cerimónia terá intervenções da presidente da ALCC, Maria Mariana Soares de Moura, da Alta Comissária para as Migrações, Sónia Pereira, da secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, e do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest