Apoio da Emprofac vai reforçar competência da Acarinhar a nível dos recursos humanos, diz presidente

A presidente da Associação Acarinhar disse hoje que o apoio da Emprofac, no montante mensal de 30 mil escudos, vai reforçar a competência da associação, a nível dos recursos humanos, que exige pessoas capacitadas e disponibilizadas.

Teresa Mascarenhas fez esta afirmação na cerimónia de assinatura do protocolo entre a Associação das Famílias e Amigos das Crianças com Paralisia Cerebral (Acarinhar) e a Empresa de Importação, Armazenamento, Comercialização e Distribuição de Medicamentos e Produtos Farmacêuticos (Emprofac), na sede desta empresa, em Tira Chapéu, na Cidade da Praia.

“Este apoio monetário que a Emprofac vai disponibilizar vai permitir reforçar a nossa competência principalmente a nível de recursos humanos”, declarou Teresa Mascarenhas, lembrando que as crianças com paralisia cerebral exigem pessoas capacitadas e disponibilizadas para trabalharem com elas.

Esta responsável frisou ainda que com essa colaboração a “Acarinhar” vai reforçar a competência técnica a nível do acolhimento de um grupo de jovens que vivem em situações muito difíceis, ou seja, quase em situação de rua porque a mãe sai para o trabalho e estes ficam na rua e em casa sozinhos.

Por outro lado, destacou o apoio desta empresa ao longo dos anos a esta associação, a nível de materiais sanitários de higiene e outros apoios, considerando que este momento é “muito importante” porque, segundo disse, a Associação Acarinhar está numa outra fase, sobretudo com um novo espaço disponibilizado pelo Governo.

Teresa Mascarenhas aproveitou para apelar a “mais apoio do género” porque, conforme explicou, são causas que dizem respeito a todos, nomeadamente a sociedade civil, pessoas individuais, instituições, empresas e igrejas.

Para o presidente do conselho da administração do Emprofac, João Lima Spencer, o protocolo de apoio está enquadrado na responsabilidade social da empresa, pelo que “é sempre importante” apoiar associações deste tipo no cumprimento das suas atividades e objetivos.

Lembrou que já celebrou vários protocolos com instituições de cariz social, sublinhando que “Acarinhar” faz um “excelente trabalho” no apoio das crianças que mais precisam.

A Associação Acarinha tem como objetivo a promoção do bem-estar e qualidade de vida de crianças com Paralisia Cerebral e das suas famílias sobretudo em situação de extrema pobreza.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest