Brava: População louva iniciativa e equipa de saúde satisfeita com participação do público na feira

A feira de saúde realizada hoje na cidade de Nova Sintra, na Brava, mereceu nota positiva da população que louvou a iniciativa e da Delegacia de Saúde que se demonstrou satisfeita pelas visitas recebidas na tenda.

Em declarações à Inforpress, a médica Mercedes Blanco fez uma avaliação positiva, anunciando que receberam a visita de cerca de duas centenas de pessoas, para especialidades diferentes, tendo sido realizado 71 testes de despiste de HIV, 13 consultas médicas, 84 consultas de enfermagem, 27 vacinas de covid-19 e aconselhamentos diversos.

Quanto às consultas, a médica informou que 17 destes pacientes foram encaminhados à Delegacia de Saúde por serem hipertensos ou diabéticos para um melhor atendimento e tratamento.

Por seu turno, o delegado de Saúde da Brava, Hélder Pires, realçou que a feira foi organizada para assinalar o Dia Mundial da Luta Contra HIV/Sida, data assinalada hoje, onde foi feito campanhas de sensibilização sobre a problemática e a situação na ilha, sensibilização sobre as doenças crónicas e a importância do seguimento, testes de despiste de HIV, triagem de pressão arterial, medição de glicémia, rastreio de HIV, consultas médicas e de enfermagem.

Quanto aos dados de casos positivos de HIV na ilha, o médico falou da existência dos 52 casos, ressaltando que este ano foram diagnosticados dois novos casos de VIH/Sida, encontrando-se mais um resultado ainda pendente, e um óbito.

Tendo em conta os dados pede a sociedade bravense para limitar e evitar comportamentos de risco, mas também aos pacientes para procurarem-no no sentido de seguir um acompanhamento mais de perto, uma vez que “ao ser diagnosticado com HIV/Sida todos os pacientes devem seguir o tratamento para o bem da sua saúde e de toda a sociedade”.

Dos utentes, Maria Martins considerou esta ação “muito importante”, sublinhando que nestas atividades a população consegue fazer todos os exames disponíveis num só dia e num curto espaço de tempo.

Quanto a problemática do HIV na ilha, esta bravense diz ser consciente que a situação é “preocupante”, mas relembrou que a prevenção é responsabilidade de todos.

Hélder Veiga, um outro paciente que esteve no local, também corrobora da classificação feita pela outra paciente, reforçando que muitas vezes a população negligencia à procura dos serviços médicos, mas quando há uma ação do tipo as pessoas aproveitam de todos os serviços oferecidos.

Sobre o número de casos de HIV na Brava, o utente destacou que a responsabilidade é de todos, cabendo a cada um tomar as decisões e cuidados necessários para não aumentar o número de casos através da prevenção, mas também aos doentes no sentido de se tratar e de ter mais responsabilidade.

A coordenadora da Fundação Brava Sustentável, que também foi uma das parceiras do evento, evidenciou que esta atividade serviu para sensibilizar e ajudar as pessoas a entender esta data, mas também trabalhar na prevenção.

Já sobre os casos existentes na ilha, pede a população para procurar mais os serviços de saúde, que faça testes, mas também que trabalhe a questão do mito existente em torno do VIH/Sida.

Com o intuito de levar a saúde a todas as localidades da ilha, pretende-se organizar outras feiras, onde o foco será sempre a questão do HIV e as doenças crónicas, mas também oferecer aos utentes da ilha os outros serviços.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest