Brava: Presidente da câmara garante que estão a ser tomadas medidas para “socorrer” comunidade de Fajã d´Água

O presidente da Câmara Municipal da Brava anunciou hoje que já estão a ser tomadas todas as medidas necessárias para “socorrer” o mais breve possível a comunidade de Fajã d´Água, após derrocada que cortou a estrada de acesso.

Francisco Tavares falava em declaração à imprensa após uma derrocada que com a queda de uma parte de uma rocha e com um grande volume de terra acabou por levar com ela mais de 20 metros de extensão da única estrada de ligação a esta zona.

Segundo o autarca, normalmente estavam acostumados com pequenas derrocadas e caídas de pedras, visto que é uma estrada com montanhas bastante altas, mas o que aconteceu no final da tarde deste sábado acabou por isolar por completo esta zona.

E neste momento, o edil avançou que já estão a ser tomadas as devidas providências, onde vai deslocar a zona e levar uma mensagem de solidariedade aos moradores, mas também certificar-se se as pessoas que possuem dificuldades em se locomover para chegarem a outros povoados sejam transferidos para a localidade de Furna através do barco da Guarda Costeira, de modo a manter um pouco de tranquilidade, principalmente nas pessoas da terceira idade.

Quanto ao restante da população que vai ficar na zona, Francisco Tavares realçou que serão tomadas todas as medidas no sentido da Proteção Civil, através da Guarda Costeira faça o abastecimento de mantimentos, para que não falte nada e vai garantir que esse abastecimento seja feito também através do caminho vicinal, via Lomba Lomba.

Em relação à uma solução para esta estrada, informou que exige um trabalho de engenharia e um trabalho técnico de diagnóstico em primeiro lugar e depois para serem tomadas as medidas em termos de reposição da via e de obras de construção.

O autarca deixou claro que será uma obra grande e que vai levar algum tempo, mas também, informou que neste momento, já se encontra em contacto com o Governo de Cabo Verde, através do Ministério das Infraestruturas, Serviço Nacional da Proteção Civil e dos Bombeiros, Estradas de Cabo Verde, que se demonstraram engajados para encontrar uma solução e voltar a ter a ligação automóvel para a localidade.

Igualmente, avançou que em menos de duas horas após a derrocada desta rocha, a ministra das Infraestruturas entrou em contacto para manifestar a sua solidariedade, mas também deixar uma mensagem de solidariedade para toda a sociedade bravense, com particularidade para os moradores da zona.

Francisco Tavares informou ainda que as informações que possui é que logo na segunda-feira ou terça-feira, uma equipa técnica das Estradas de Cabo Verde vai se deslocar à ilha do Fogo e ver a possibilidade de o navio da Guarda Costeira apanhá-la no Fogo e trazer para a Brava tendo em conta que a situação é de emergência para fazer o diagnóstico e a proposta de solução vir o mais rápido possível.

Pois, reforçou que esta é a única estrada que liga esta comunidade, uma localidade “muito importante” para a economia bravense e também pelos seus aspectos turísticos, mas também, por ter uma população com pessoas da terceira idade e crianças que estudam no Complexo Educativo de Nova Sintra, há comércio na zona, entre outros aspetos que exigem a necessidade de tomar medidas de forma emergencial.

A localidade de Fajã d´Água ficou isolada no final da tarde do passado sábado, 21, após uma derrocada que além de rocha e terra levou consigo um troço de estrada.

Contactados pela Inforpress, os moradores garantiram que não houve mais derrocadas, mas que ainda nada é garantido tendo em conta a natureza.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest