Criador de gado no Porto Novo que teve seus animais carbonizados num incêndio pede ajuda das instituições

O criador de gado que ficou, este sábado, sem os seus animais, carbonizados durante um incêndio na Ribeira Corujinha, cidade do Porto Novo, Santo Antão, pediu hoje a ajuda e solidariedade das instituições locais e nacionais.

“Vivo somente da pecuária e agora, que fiquei sem os meus animais, não sei o que fazer. Por isso espero a ajuda das instituições, sobretudo da Câmara Municipal do Porto Novo e do Ministério da Agricultura, porque fiquei sem nada”, suplicou António Santos, que confirmou um prejuízo que ultrapassa os 300 contos.

Toni da Ribeira Corujinha, como é vulgarmente conhecido, disse que desde a pandemia de covid-19 tem estado a enfrentar “sérias dificuldades”, situação que se agravou com o incêndio, que matou vacas, cabras, galinhas, coelhos e, ainda, destruiu alguns equipamentos.

“Antes da pandemia já precisava da ajuda e solidariedade das instituições. O incêndio só veio agravar a minha situação, que já era muito difícil”, explicou este criador, que disse chefiar “uma família numerosa”.

Clama, por isso, “nesta hora muito difícil” por “uma mão amiga” da edilidade porto-novense, do Governo e de outras instituições para poder retomar a sua actividade e poder sustentar a sua família.

“Se houver alguma instituição que possa me ajudar, serei muito grato, porque estou a passar por um momento muito difícil”, avançou este criador de gado, que tinha na criação e venda de animais o seu “meio de vida”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest