Director defende Sistema Nacional de Saúde capaz de assegurar cuidados de qualidade aos idosos

O director nacional da Saúde, Jorge Noel Barreto, defendeu hoje a necessidade de Cabo Verde ter um Sistema Nacional de Saúde capaz de assegurar cuidados de saúde de qualidade aos idosos.

Jorge Noel Barreto fez estas declarações durante a sua intervenção na cerimónia de abertura da III Congresso de Envelhecimento Activo e Saudável enquadrado na implementação do Plano Estratégico Nacional para o Envelhecimento Activo e Saúde dos Idosos 2017-2021 (PENEASI) e a implementação do Protocolo de Atenção Integrada à Saúde da Pessoa Idosa 2018-2030, que decorre de hoje a 17 de Setembro, no município de Ribeira Grande de Santiago.

Abordando a situação dos idosos em Cabo Verde no contexto da covid-19, este responsável apontou que, neste momento, cerca de 4.280 pessoas com idade igual ou superior a 60 anos foram diagnosticadas com covid-19, o que representa 12 % do total de casos já notificados no país.

Lamentou o facto de se registar mais óbitos por covid-19 nesta faixa etária, frisando que a taxa de letalidade neste grupo etário é de 5,9%, enquanto a taxa de letalidade a nível global é de 0.88%.

Daí, advogou, a importância de se dar atenção às pessoas deste grupo etário e também fazer com que as pessoas possam envelhecer de forma mais condigna para que possam ter saúde.

“O envelhecimento não acontece da mesma forma em todas as pessoas porque cada um as suas caraterísticas genéticas e sofrem influências externas ambientais variadas e de forma diferente”, afirmou, realçando que o envelhecimento da pessoa idosa tem se transformado num fenómeno social incontornável na maioria dos países e Cabo Verde não foge à regra.

Destacou as medidas e políticas adoptadas em Cabo Verde ao longo dos anos visando garantir um envelhecimento activo e saudável das pessoas idosas em Cabo Verde, salientando que a pessoa idosa tem ainda muito a contribuir em prol do desenvolvimento do País.

Para o director nacional da Saúde, viver mais significa ter de lidar com problemas de saúde que vão surgindo e acumulando durante o processo de envelhecimento e isto no seu entender, representa um grande desafio para a resposta do sistema de saúde e outros sectores.

“Daí a importância da adopção de ferramentas e de medidas que poderão facilitar a resposta a este grande desafio. É preciso que o sistema de saúde de Cabo Verde tenha a capacidade de assegurar cuidados de saúde de qualidade integrados acessíveis e focados nas necessidades e direito das pessoas idosas”, advogou.

Defendeu ainda a necessidade de se promover mais oportunidades para que os idosos exerçam a sua cidadania e façam parte do contexto social no qual estão inseridos de forma mais autónoma e inclusivo e possível.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest