Edil do Porto Novo desafia AAI a criar em Santo Antão unidade local para a imigração

O presidente da Câmara Municipal Porto Novo, Aníbal Fonseca, desafiou esta quarta-feira, 29, a Alta Autoridade para a Imigração (AAI) a dotar a ilha de Santo Antão de uma unidade para a emigração.

Aníbal Fonseca, que falava no ato de assinatura de um protocolo de colaboração institucional com a AAI, explicou que a criação da unidade para emigração em Santo Antão teria como propósito “um melhor acolhimento e uma melhor orientação e integração dos imigrantes”.

Até agora, foram criadas unidades locais para a emigração nas ilhas com maior expressão em termos de imigração, quais sejam, em Santiago, São Vicente, Boa Vista e Sal.

Para o edil do Porto Novo, Santo Antão tem sido uma ilha cada vez mais acolhedora dos imigrantes, residindo na ilha “um número considerável” de cidadãos que escolheram esta região para viver e “realizar o seu projecto de vida”.

Existe já no município do Porto Novo um gabinete de apoio aos emigrantes e imigrantes, o que, no entender deste autarca, demonstra a proatividade da edilidade em matéria de imigração.

Aníbal Fonseca adiantou que residem no Porto Novo cidadãos de várias nacionalidades que vieram dar a sua contribuição ao processo de desenvolvimento do concelho nos mais variados domínios, desde logo, o comércio e a construção civil.

Para o presidente da câmara, existe no Porto Novo “um cenário de muito boas perspetivas” em termos de potencial de desenvolvimento nas diferentes áreas, “onde se pode aproveitar oportunidades”, disse.

“Faço o apelo às pessoas que escolheram Porto Novo para realizar os seus projetos de vida para contar com a câmara municipal como parceira”, sublinhou Aníbal Fonseca, defendendo ainda a agilização dos processos que dizem respeito aos imigrantes.

A presidente da AAI, Carmem Furtado, realçou a importância das câmaras municipais no acolhimento e integração dos imigrantes, daí a importância deste protocolo, que visa “reforçar a capacidade técnica e logística” da edilidade porto-novense em relação à questão da imigração.

Carmem Furtado salientou ainda o facto de Porto Novo ter já um gabinete de apoio à imigração, considerando que, a partir de agora, estão criadas as condições para que a AAI e autarquia possam melhorar a articulação com vista à melhoria do acesso aos serviços por parte dos cidadãos estrangeiros residentes neste município e à sua melhor integração.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest