Emprofac justifica instabilidade de fornecimento de Contraste para realização de TAC com falta da matéria-prima a nível internacional

A Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos (Emprofac) esclareceu hoje que a instabilidade de fornecimento de contraste para realização de TAC no mercado nacional deve-se à falta da matéria-prima para a produção do mesmo no mercado internacional.

“Desde 2022 que o principal fabricante deste medicamento não tem conseguido abastecer o mercado internacional com regularidade, devido à crise internacional no abastecimento de iodo, que é a principal matéria-prima para a produção de Contraste”, explica em comunicado.

A empresa esclarece ainda que, em Janeiro deste ano, a Entidade Reguladora da Saúde (ERIS) aprovou um meio de contraste alternativo, lo-hexol 647 mg/ml Sol. Inj. 500 mt C/5 IOHEXOC IMAX e que desde essa data tem vindo a abastecer o mercado com embalagens hospitalares.

Quanto às embalagens comerciais, informa ter recebido pequenas quantidades, que foram fornecidas de forma rateada para todas farmácias, clínicas e hospitais do país.

“Esta semana recebemos uma pequena quantidade (200 unidades) e desde ontem (20/03/2024) que temos vindo a fornecer às farmácias, clínicas e hospitais do país”, ressalta, realçando que o país dispõe de um stock de emergência.

A Inforpress, numa reportagem publicada no dia 20, deu conta que o mercado nacional vem registando falta contraste para realização de Tomografia Axial Computorizada (TAC) há vários meses, o que vem prejudicando os pacientes que se têm deslocado permanentemente às farmácias à sua procura para efeito deste exame.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest