Enfermeira pede mais valorização para classe que está sempre na linha de frente pela vida

A superintendente de enfermagem do Hospital Baptista de Sousa (HBS), Vera Monteiro, pediu hoje, no Mindelo, mais valorização para a classe que está sempre na linha de frente pela vida.

A responsável falava à imprensa, no Mindelo, à margem de ateliês realizados durante esta semana, no HBS, para assinalar o Dia Internacional da Enfermagem, comemorado nesta quinta-feira, 12, sob o lema “Investimento na enfermagem e respeito aos seus direitos para garantir a saúde global”.

Vera Monteiro acredita que se deveria valorizar mais os enfermeiros que estão 24 horas na linha de frente na luta pela vida.

A superintendente considerou que a aposta deve ser feita na formação, no empoderamento e na liderança, aspectos que devem ser acautelados, segundo a mesma fonte, com a criação da Ordem dos Enfermeiros, cujos parâmetros ainda estão a ser definidos pela actual comissão instaladora.

“Penso que ainda este ano conseguiremos eleger o nosso bastonário para pôr em prática e desenvolver o nosso trabalho”, sublinhou a mesma fonte, para quem a pandemia veio colocar algum freio às reivindicações dos enfermeiros, mas, que urge agora voltarem a ser debatidas.

Vera Monteiro referiu-se ao caso do HBS que tem em média 160 enfermeiros, na maioria generalistas, e que demonstram a necessidade de se apostar na especialização para garantir maior cuidado aos utentes, tal como ficou também bem patente durante a pandemia.

Os ateliês, que se iniciaram nesta terça-feira, 10, incidiram hoje sobre os cuidados da enfermagem na ortopedia, e nesta quinta e sexta-feira, respectivamente, irão reflectir sobre a monitorização hemodinâmica e assistência à saúde sexual e reprodutiva da mulher com transtorno mental.

As actividades de comemoração do Dia da Enfermagem decorrerão no HBS durante todo o mês de Maio.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest