EUA apresentam bolseiros cabo-verdianos ao Programa Jovens Líderes Africanos YALI’2023

O embaixador dos Estados Unidos da América na Praia, Jeff Daigle, apresentou esta quarta-feira, 24, ao primeiro-ministro os bolseiros cabo-verdianos selecionados do Programa Jovens Líderes Africanos (YALI) 2023, designado  Mandela  Washington  Fellowship, a realizar-se de 22 de junho a 03 de agosto nos EUA.

Darlene Barreto (Drexel University) Michel Cabral (Cornell University), Malenia Semedo (Drake University), Wagner Gomes (Appalachian State University), Kesia Lima (Rutgers University), Raul Duarte Soule e Nestor Andrade (Florida Gulf Coast University) são os sete cabo-verdianos selecionados num universo de 48 concorrentes.

Jeff Daigle anunciou que estes jovens líderes terão a oportunidade de adquirir novas competências, ideias e redes de contacto, que poderão abrir-lhes novos horizontes para o futuro, participarão numa cimeira em Washington, DC, e integrarão um programa de intercâmbio com instituições americanas.

Estes sete cabo-verdianos selecionados, referenciados como empreendedores de projetos “bastante interessantes” para as respetivas comunidades e para Cabo Verde, enquadram-se no grupo de 700 bolseiros africanos que irão viajar este ano para os Estados Unidos no quadro do YALI.

O diplomata revelou que Cabo Verde já conta com 48 jovens saídos deste programa que, após o regresso, têm contribuído, “de forma inequívoca”, para o processo do desenvolvimento das ilhas, nos mais variados domínios, visando a promoção da igualdade do género, a capacitação das ONG, bem como representando o país nos vários fóruns nacional e internacional sobre a democracia e direitos humanos.

“Cabo Verde sempre investiu em uma nova geração de líderes, visando promover instituições democráticas mais fortes, maior prosperidade e segurança duradoura para a África e para o mundo”, sintetizou Jeff Daigle.

Em representação dos selecionados, Nestor Andrade e Kesia Lima, enalteceram as suas “expectativas positivas” e a importância de participarem na iniciativa YALI, como forma de melhorarem, cada vez mais, as suas capacidades de liderança e reforçar projetos implementados no país e dar a conhecer aos participantes a realidade cabo-verdiana.

Ampliar novas visões, inovar-se e procurar novos caminhos de aumentar a probabilidade de impactos em Cabo Verde, assim como inteirar-se dos métodos para conectar os trabalhos realizados no país junto da comunidade cabo-verdiana na diáspora, de forma a colocar o país no ‘networking’ de inovação, foram apontados pelos porta-vozes como uma das expectativas deste programa.

Para o programa do próximo ano, avançou o embaixador norte-americano, o processo de recrutamento arranca no início de Agosto, pelo que a organização conta receber “um novo grupo de excelentes jovens” candidatos de todas as ilhas.

Lançada em 2014, a bolsa Mandela Washigton Fellowship é o principal programa da iniciativa Young African Leaders (YALI, sigla em inglês) e incorpora o compromisso dos Estados Unidos de investir no futuro de África.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest