Eurídice Monteiro diz que o país deve apostar cada vez mais na formação dos seus jovens

A secretária de Estado do Ensino Superior, Eurídice Monteiro, afirmou esta terça-feira, 05, que o País deve apostar cada vez mais na formação dos seus jovens e na empregabilidade.

“Quanto melhor formarmos, melhor preparados estiverem os jovens, melhor será o nosso contributo para o nosso próprio País, para a África e mundo em geral”, enfatizou a governante.

Eurídice Monteiro fez essas considerações na abertura do ano académico na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, em que dissertou sobre o tema: “Múltiplas competências para desafios globais”.

Para a governante, Cabo Verde precisa de formar “cada vez mais e melhor e todas as áreas”.

Para o efeito, acentuou a secretária de Estado do Ensino Superior, Cabo Verde deve apostar na “formação contínua” de professores.

“O professor, de diversos níveis, tem vindo a ser alvo de algum descuido. Precisamos de cuidar mais dos professores, que têm a missão nobre de formar um país”, reconheceu a governante.

“A temática que temos hoje é muito complexa. Pensar nas múltiplas competências para os desafios globais requer não só um pensamento sobre que competências elegemos como prioritárias e qual é a escala que elegemos para a actuação”, sublinhou a governante, acrescentando que hoje está “cada vez mais ao alcance das mãos”.

“Temos que estar preparados para realizarmos a nossa felicidade em qualquer parte do mundo”, exortou Eurídice Monteiro, assegurando que Cabo Verde é um pequeno país, cuja maior parte da sua gente “se identifica com a população diaspórica que se encontra fora deste pequeno território insular”.

“Temos na diáspora uma grande rede de intercambio universitário”, afiançou, avançando que “o Governo entende que é chegada a hora de nos aproximarmos da diáspora e vice-versa”, porque, justificou, “isto só traz vantagens”.

Por seu turno, a nova reitora da Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, Joanita Rodrigues, destacou os desafios que esta instituição do ensino superior tem pela frente, tendo em conta os efeitos da pandemia de covid-19 na economia nacional e, logo, com repercussões a nível do ensino.

“Devemos sustentar o lema para este ano lectivo – Por uma universidade humanizada, dinâmica, criativa e responsável – onde definimos com clareza as metas para levarmos a bom porto o desenvolvimento integral, sustentável e inclusivo”, apelou a reitora da Uni-Piaget, lembrando que o ano transacto foi marcado pela reinvenção de todos os sistemas do ensino, devido à covid-19.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest