Ficase quer maior engajamento da sociedade civil para uma educação de qualidade e mais inclusiva

O presidente da Ficase, Albertino Fernandes, enalteceu hoje o papel que os parceiros têm tido no apoio à Fundação e sublinhou que é “extremamente importante” o engajamento da sociedade civil para uma educação de qualidade e mais inclusiva.

“Para termos uma educação de qualidade nós todos temos que contribuir. A sociedade civil, as empresas e os governantes. Por isso é que se diz que a educação é um bem colectivo. É uma responsabilidade não só do Estado, mas sobretudo é uma responsabilidade de todos nós”, disse.

Albertino Fernandes falava aos jornalistas na sequência da realização hoje na Praia do encontro com parceiros e doadores da Fundação Cabo-verdiana de Acção Social e Escolar (Ficase) que tem como objectivos principais a apresentação dos principais resultados dos programas socio-educativos, e procurar estratégias de mobilização de recursos e reconhecer, publicamente, os parceiros e doadores da Fundação.

“Este evento serve para enaltecer o papel fundamental destes parceiros, que têm contribuído bastante para garantir uma educação de qualidade e inclusiva. Nós já temos a nossa estratégia, mas estamos conscientes de que precisamos fazer mais, por isso hoje vamos discutir formas de mobilizar mais recursos”, explicou.

Segundo o presidente da Ficase, a fundação apoia, através do Governo de Cabo Verde, cerca de 3.800 alunos com um orçamento à volta de 524.000 contos, por ano.

“Não sei se estou certo, mas penso que é o maior programa social do Estado. Mas mesmo assim este valor não consegue cobrir todas as necessidades. Por isso é que nós precisamos do apoio de todos, dos ex-bolseiros para continuar a apoiar e também para não, digamos assim, comprometer as gerações futuras”, sublinhou.

Face ao aumento de pedidos de apoios nos últimos anos, Albertino Fernandes sustenta que é necessário o reforço das parcerias e mobilização social, de forma a permitir que a Ficase possa criar as condições que favoreçam o acesso, a frequência e o sucesso escolar a milhares de alunos, sobretudo, os provenientes de famílias em situação de vulnerabilidade socioeconómica.

“A Ficase apoia cerca de 25% da população estudantil cabo-verdiana com os seus programas. O Estado é o nosso principal parceiro. Nosso objectivo é trazer mais a sociedade civil a participar e ajudar na educação”, reforçou.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest