Fogo: Resultados das primeiras amostras indicam que há seis casos confirmados de dengue, diz delegada de Saúde

As primeiras amostras recolhidas e enviadas para exames laboratoriais confirmam, pelo menos, seis casos de dengue a nível da ilha do Fogo, revelou hoje a delegada de Saúde de São Filipe.

Joana Alves disse, ao presidir à reunião da Comissão Municipal da Saúde, para traçar as estratégias de luta contra a dengue no município de São Filipe, que no universo de oito amostras enviadas, seis casos foram confirmados como sendo de dengue.

Os primeiros casos foram notificados a partir do dia 10 de Novembro e, até este momento, estão contabilizados 35 casos suspeitos dos quais seis  confirmados e outros aguardam por resultados.

Os dias 15, 16 e 17 foram os com maior número de notificações, nove, sete e cinco casos respetivamente, totalizando até este momento 35 casos, sendo São Filipe o município com maior número de casos.

As três pessoas que estavam hospitalizadas tiveram alta esta segunda-feira, no mesmo dia em que uma outra pessoa foi hospitalizada. Até este momento quatro pessoas foram hospitalizadas com dengue, incluindo as três que tiveram alta hospitalar.

Inicialmente os casos foram notificados em alguns bairros de São Filipe, mas neste momento várias localidades do interior do município de São Filipe constam da lista de locais com notificação de casos.

Os bairros de Congresso, Santa Filomena e Lém de Baixo são com maior número de casos, mas os bairros como Lém de Cima, Lém de Meio, Cobom e Bila Baixo figuram da lista, assim como as localidades de Lagariça, Monte Largo, Aleixo Gomes, Ponta Verde, Penteada todos no município de São Filipe, e um caso suspeito em Chã das Caldeiras, município de Santa Catarina do Fogo.

A equipa da Delegacia de Saúde de São Filipe já pulverizou 188 casas com um total de 1025 compartimentos com cerca de mil pessoas (908), mas a maior preocupação da delegacia, que dispõe de equipamentos, medicamentos e outros materiais, é o reduzido número de agentes para dar resposta à demanda.

Por isso, solicita a colaboração de outras instituições para garantir a pulverização das casas de pessoas suspeitas e repulverização de outros bairros da cidade já que a luta contra a dengue passa pela eliminação de mosquito transmissor.

Outra dificuldade na pulverização das habitações prende-se com o horário e a delegacia de saúde pede maior colaboração das pessoas para com as equipas, permitindo a pulverização e também no seguimento das orientações que são transmitidas.

A equipa da delegacia de saúde, que já esteve nas escolas e nas instalações da Cadeia Civil e já visitou as obras em curso, tem programado para o final desta semana, sexta-feira ou sábado, a realização de uma grande campanha de limpeza de alguns bairros da cidade.

O vereador do Saneamento da câmara de São Filipe, que integra a Comissão Municipal da Saúde, prometeu disponibilizar duas dezenas de pessoas para a mega campanha de limpeza e alguns materiais, mas a delegacia pede a colaboração das pessoas nos diferentes bairros, assim como a participação de outras instituições nesta campanha, recordando que o ovo do mosquito transmissor de dengue leva fica activo por mais de um ano (450 dias).

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest