Igrejas Adventistas: Novo corpo directivo vai continuar a apostar nos três pilares – presidente associativo

O presidente da Associação das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia em Cabo Verde disse hoje, na Praia, que o novo corpo directivo vai continuar a apostar nos três pilares fundamentais para o crescimento da igreja no arquipélago.

Natalino Martins, que foi reconduzido ao cargo, falava à Inforpress durante o empossamento da nova direcção, que integra ainda o secretário executivo Rudy Fonseca e o tesoureiro, Natalino Varela, em cerimónia que decorreu no Pavilhão Desportivo Vavá Duarte.

Segundo o presidente associativo, o evangelismo, a saúde e a educação são considerados “pilares primordiais” para este novo quinquénio, sublinhando que vai continuar a reforçar o trabalho do evangelismo na medida que o homem precisa “ouvir a palavra de Deus”.

Em relação à educação, promete apostar nas escolas para a transmissão de mensagens de valores e respeito aos jovens e crianças cabo-verdianas e contribuir para o bem da sociedade.

O terceiro pilar, acrescentou, trabalha a saúde emocional do homem, considerando a saúde fundamental para a realização de qualquer trabalho.

O responsável atribuiu “nota positiva” ao anterior mandato, assegurando que conseguiu-se atingir as metas, muito embora o contexto de dificuldades, essencialmente ligadas a questões sanitárias, que foram prontamente ultrapassadas.

O principal desafio, reiterou, tem a ver com a falta de recursos humanos, realçando que neste momento são 13 pastores, mas pretendem formar e recrutar mais nove para orientar as igrejas espalhadas pelo arquipélago.

Por seu lado, o secretário executivo, Rudy Fonseca, apontou as áreas técnicas, administrativa e missional como prioritárias do sector sob a sua responsabilidade, ressaltando que o objectivo é solucionar a discrepância de dados entre os números apresentados pelas igrejas locais.

Segundo Rudy Fonseca, a igreja tem 10.600 membros, uma em cada 18 pessoas são adventistas, contudo o relatório das igrejas locais demonstra uma discrepância de 4.632 membros, sendo que ainda aguardam dados de algumas igrejas.

“Queremos saber, ao certo, o número de membros. Temos uma base de dados, mas, ao mesmo tempo, temos relatórios com alguma discrepância em relação a esses dados. Então, queremos regular para ter um número exacto de pessoas que amam a Cristo, receberam o Jesus e se batizaram na Igreja, para fazermos o melhor trabalho”, disse.

“A parte missional é envolver os secretários da igreja na missão. Nós não só escrevemos ou redigimos actas ou preocupamos com a área administrativa, mas também engajamos na missão”, continuou.

O presidente da União Missão do Sahel Oeste, David Njoc, disse satisfeito com a posição que a igreja ocupa, como “a segunda organização eclesial reconhecida em Cabo Verde”, elucidando que o corpo jovem vai garantir o futuro da igreja no país.

“Daqui a meses virão oito pastores que estão na formação no exterior, que vai aumentar a capacidade da igreja e o nível dos que já estão aqui”, disse, avançando que vai se trabalhar a educação e recuperação das pessoas envolvidas com drogas.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest