Maio: Câmara Municipal inicia projecto “Mais Saúde Mais Vida” que vai beneficiar 230 famílias

A Câmara Municipal do Maio iniciou ontem, dia 8, a implementação do projecto “Mais Saúde Mais Vida”, durante o qual está prevista a construção de casas de banho, ligações de água ao domicílio e formação ligado ao sector do turismo.

Esta informação foi avançada pela vereadora de habitação social, Sandra Silveira, indicando que e na primeira fase, um total de 55 famílias residentes na zona de montinho de lume na cidade do Porto Inglês, na vila do Barreiro e na localidade de Figueira vão ser contempladas nesta vertente cujo financiamento, de cerca de 13 milhões de escudos, vai ser garantido pelo Fundo de Descentralização. 

Além da construção das instalações sanitárias e da ligação à rede de água, a vereadora responsável pela habitação social, reforçou que o projecto vai também contemplar essas famílias com formação em turismo de base comunitária e formação em culinária na vertente “pratos tradicionais”, pelo que pretendem contemplar cerca de 230 famílias.

Sandra Silveira fez saber ainda que as famílias a serem contempladas com a construção de casas de banho vão ter de comparticipar com a escavação das fossas sépticas, enquanto as beneficiadas com a ligação domiciliária de água vão encarregar-se da escavação das valas para colocação dos tubos, mas avançou que caso uma família não reunir as condições para esse efeito, a edilidade vai comparticipar com os custos dos trabalhos.

Garantiu ainda que a edilidade vai dar uma atenção forte à questão habitacional e lembrou que no mandato anterior foram reabilitadas várias moradias, mas agora o foco vai ser no apoio à autoconstrução das moradias por parte dos jovens casais que ainda não possuem condições financeiras, bem como aquelas com problemas no tecto das suas moradias.

A conclusão do projecto, financiado pelo Grão-Ducado do Luxemburgo, no âmbito do Fundo de Descentralização e que conta com o apoio técnico e a gestão do programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, PNUD, em estreita articulação com o Governo de Cabo Verde, através da Direcção Nacional do Planeamento, está prevista num horizonte de três meses.

Lembrou ainda que este projecto vai beneficiar directamente mulheres chefes-de-família com vista a contribuir para a melhoria das suas condições de vida, através do alargamento do abastecimento de água e da melhoria do saneamento básico, além da promoção de actividades geradoras de rendimento, combater a pobreza e as disparidades sociais e regionais através do desenvolvimento local.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest