Ministério da Justiça assina protocolo com Fundação Garah para reforçar o combate ao uso do álcool e outras drogas em Cabo Verde

O protocolo aconteceu no ato do lançamento oficial da Fundação Garah, nesta quarta-feira, 26, na Assembleia Nacional.

O Ministério da Justiça através da Direção-Geral dos Serviços Prisionais e Reinserção Social (DGSPRS) associou-se à Fundação Garah para ajudar no combate e na prevenção do uso do álcool e outras drogas em Cabo Verde.

A Fundação Garah, criada em 2016, tem como mentor o rapper cabo-verdiano Ga DaLomba e a iniciativa tem como objetivo auxiliar na prevenção, no resgate e no combate ao uso do álcool e outras drogas.

A ministra da Justiça, Joana Rosa, avançou à imprensa que vão apoiar a Fundação na implementação de projetos ao combate ao uso do álcool e de outras drogas e assegurou que vão trabalhar junto dos presos e na reinserção social, visto que existe uma população prisional bastante significativa, composta maioritariamente por jovens consumidores de estupefacientes e é uma temática que preocupa, enquanto pessoa e governante.

“Este projeto para mim enquanto ministra, irá salvar milhares de vidas que se encontram numa situação de dependência, cujas famílias se encontram, às vezes, desesperadas e desanimadas”, adiantou.

A governante avançou que estão a trabalhar a reinserção social dos jovens que têm estado a cumprir pena, mesmo com o trabalho que está sendo feito ao nível das cadeias da Unidade Livre de Drogas, vão precisar ter o acompanhamento desses ex-reclusos. Acrescentou que esta Fundação vai dar-lhes garantia de poder fazer o acompanhamento dos ex-projetos de reinserção e reintegração social desses ex-reclusos.

Joana Rosa apelou ainda que as ONGs, as fundações e as associações assumam esta responsabilidade junto do Estado já que a responsabilidade é de todos. “É um problema do Estado, da sociedade, das famílias desestruturadas, são questões gravíssimas que precisam ser resolvidas”.

Assegurou que o Governo está de braços abertos, através do Ministério da Justiça, a ajudar a fundação a implementar este projeto em que compreendem ser uma causa nobre, que todos tem que saber agarrar, defender e ajudar para que se reduza o sofrimento de muitos jovens e famílias em Cabo Verde.

A cerimónia foi presidida pelo primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e contou com a presença de jovens que já passaram no mundo do álcool e de outras drogas.

Cidália Semedo/ Estagiária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest