Morte de Evelyne Figueiredo representa uma perda irreparável para Cabo Verde – presidente Morabi

A presidente da Morabi, Maria Aleluia Andrade, lamentou hoje a morte de uma das fundadoras da referida associação, salientando que Evelyne Figueiredo foi uma mulher que trabalhou activamente para melhorar a condição de vida das mulheres cabo-verdianas.

A presidente da Associação Apoio à Auto-promoção da Mulher no Desenvolvimento (Morabi) e Morabi Cooperativa de Poupança e Crédito, fez estas declarações à Inforpress, quando reagia ao passamento de uma das fundadoras e primeira presidente da referida associação, Evelyne Figueiredo, ocorrida este sábado na ilha do Sal.

“A Evelyne foi uma mulher que dedicou a sua vida à Morabi, ela foi a primeira presidente, esteve na criação da associação e sempre fez parte do Conselho Consultivo da Morabi. Ela sempre esteve nos bastidores quando deixou de desempenhar o cargo de presidente. Estamos arrasados com a notícia da sua morte, que nos pegou de surpresa porque recentemente estivemos em São Vicente a participar numa reunião e ela estava connosco, e ela parecia bem, nos deu muitos conselhos, sugestões e não imaginámos que era a última vez”, declarou.

Segundo Maria Aleluia Andrade, a falecida deixou um grande legado para o país, realçando que os frutos de sua entrega, dedicação, amor em prol da promoção e melhoria de qualidade de vida, são hoje colhidos por todas as mulheres que têm beneficiado dos projectos da Morabi.

“O seu maior sonho era trabalhar para melhorar a condição de vida das mulheres cabo-verdianas. Ela estava sempre disponível em ajudar a todos e dar o seu contributo e Morabi é o que é hoje graças a tudo o que ela fez em vida, e mesmo estando longe, muitas vezes, sempre nos apoiou em tudo e seu legado jamais será esquecido”, afirmou.

Evelyne Figueiredo foi uma mulher que sonhou melhorar a condição de vida das mulheres cabo-verdianas e ao lado de outras mulheres e homens criou e liderou a Morabi.

Em 1991 quando o pequeno grupo encabeçado por ela, fez seu primeiro encontro, o objectivo era apoiar as mulheres que não tinham acesso à educação, serviços básicos de saúde e participação nas actividades sociais, políticas e económicas do país.

Criada em Março de 1992, a Morabi, Associação de Apoio à Auto-promoção da Mulher no Desenvolvimento, completa no próximo mês de Março 32 anos de existência a trabalhar em prol da Auto-Promoção da Mulher Cabo-verdiana através dos programas de Microfinanças, Formação, Saúde Sexual e Reprodutiva.

A referida associação tem como objectivo privilegiar a inserção e a melhoria da posição social da mulher cabo-verdiana, e promover a sua participação no processo de desenvolvimento económico, social e político de sua comunidade e do país.

O velório está previsto para segunda-feira, 26, às 10:00, no Salão da Igreja do Nazareno no Plateau, e a cerimónia fúnebre terá lugar na Igreja Matriz do Plateau às 16:00, de onde se seguirá para o cemitério da Várzea.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest