Nova direção da OMCV partilha com PR projetos para empoderamento da mulher

A nova direção da Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV), liderada por Eloisa Cardoso Gonçalves, foi recebida esta terça-feira, 22, pelo Presidente da República, José Maria Neves, com quem partilhou os projetos da organização para o empoderamento da mulher.

Eloisa Cardoso Gonçalves, que assumiu o cargo de presidente da OMCV em Setembro deste ano, após um percurso enquanto secretária executiva da organização, adiantou à imprensa à saída do encontro que o empoderamento da mulher tem sido o chapéu de todo o trabalho que a OMCV vem desenvolvendo.

“Estamos a falar do empoderamento nas suas várias vertentes. Temos o empoderamento económico, mas estamos também falar da autonomia física que tem muito a ver com a violência com base no género (VBG), com o assédio sexual e foi isso que nós transmitimos ao senhor Presidente no sentido de serem temas que ainda precisam ser trabalhados na sociedade cabo-verdiana tem”, disse.

Eloisa Gonçalves adiantou que ficou o compromisso da parte do chefe de Estado, no sentido mesmo de exercer a sua magistratura de influência com vista a ajudar a instituição na mobilização de novas parcerias para ultrapassar os desafios.

“Fazendo as suas várias visitas ele tem contacto com organizações, que também têm o mesmo cariz da OMCV. E então, também é levar um bocadinho do nosso nome, do nosso trabalho e depois tentar no seu máximo fazer essa ponte com outras instituições, outras organizações internacionais e que possam trazer alguma experiência a OMCV”, explicou.

A presidente da OMCV salientou que face ao momento de crise que o país e o mundo vivem, a OMCV tem tido um aumento da procura por parte de mulheres, no sentido de terem apoio para conseguirem colmatar as necessidades básicas.

Neste sentido, avançou que a nível social, a OMCV tem trabalhado com apoios, acções de capacitação e alguns kits de trabalho para o desenvolvimento das atividades geradoras de rendimentos.

A par disso, indicou que há a OM Crédito que concede créditos a essas pessoas para que possam alavancar as suas atividades e ter o rendimento para o sustento da família.

“Nesses dois casos temos desafios vários. A nível de crédito temos esse problema de pensar bem a capacidade de pagamento dos nossos clientes e depois a nível da OMCV social o desafio tem muito a ver com a redução do financiamento o que diminui a nossa capacidade de resposta”, explicou.

Paralelamente ao empoderamento económico, a Organização das Mulheres de Cabo Verde está também a trabalhar a parte da autonomia física, a questão da VBG e o assédio sexual, que afirma, afeta grandemente as mulheres em Cabo Verde.

Neste particular, informou que a OMCV tem em curso projeto que é financiado pelo Governo dos Estados Unidos da América em 150 mil dólares, por um período de dois anos, que é para trabalhar o assédio sexual, considerado ainda um tabu na sociedade cabo-verdiana.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest