Perda dentária e cárie entre “principais problemas” de saúde oral nos idosos, diz coordenadora do PNSO

A coordenadora do Programa Nacional de Saúde Oral (PNSO), Elizabeth Rodrigues, indicou hoje que a perda dentária, cárie e boca seca são os “maiores problemas” de saúde oral nos idosos em Cabo Verde.

No âmbito da celebração do Dia Mundial da Saúde Oral, a Direcção Nacional de Saúde, através do Programa de Saúde do Idoso e Programa de Saúde Oral, em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) e a Cruz Vermelha, realizou hoje uma acção de sensibilização de saúde oral, direccionada aos idosos.

Elizabeth Rodrigues chamou atenção da sociedade para “maior dedicação” à saúde oral, no sentido de prevenir maiores complicações de saúde, uma vez que a boca é a “porta de entrada” para outras doenças.

“O objectivo dessa actividade é promover mudanças de comportamento entre indivíduos, comunidades, organizações da sociedade civil e o sector privado a trabalharem de forma articulada para melhorar o acesso aos cuidados de saúde oral, na pessoa idosa”, declarou.

Segundo Elizabeth Rodrigues, a maioria dos idosos não têm o hábito de praticar uma higienização frequente dos dentes e nem de procurar os serviços de saúde neste sentido, o que compromete os dentes levando a sua perda total.

“Neste sentido apelamos mais engajamento por parte dos familiares, queremos acabar com a ideia que os idosos têm que ter falta de dentes. É fundamental manter a saúde oral em dia, além de prevenir doenças, devolve a auto-estima e a alegria de um sorriso na vida dos idosos”, sublinhou.

Por sua vez, a porta-voz dos estagiários de enfermagem da Universidade Intercontinental de Cabo Verde (Única), Irondina Querido, reforçou que é preciso “muita conversa” e uma “atenção especial” para com os idosos, a fim de perceberem os seus hábitos e necessidades de saúde.

“A maioria dos idosos não conta os seus problemas, aqui no centro estamos sempre atentos aos sinais como mau hálito, e tentamos sempre manter uma relação de confiança para podermos conhecer melhor, e ajudar os idosos, porque a maioria tem vergonha de dizer que não faz a higienização oral e acaba por se calar quando é questionado”, explicou.

Em Cabo Verde, de acordo com o inquérito do Ministério da Saúde sobre das doenças não transmissíveis (IDNT II-2020), 87,7 por cento (%) da população adulta dos 18 a 69 anos, declarou ter mais de 20 dentes, 40,8% ter feito uma consulta no dentista há mais de dois anos, 18,8% afirmou nunca ter ido ao dentista, e 91,0% declarou higienizar os dentes, pelo menos, duas vezes ao dia.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest