Sal: Nome do poeta Canabrava gravado na história toponímica da ilha

O nome do poeta Pedro Vieira, Canabrava, falecido há três anos, fica gravado na história toponímica da ilha do Sal com o descerramento da placa que ocorreu na tarde de desta segunda-feira, 21, numa das ruas do bairro onde morava.

A Câmara Municipal do Sal escolheu o Dia da Poesia, assinalado a 21 de março, para homenagear Pedro Alberto Andrade Vieira, que sustenta o pseudónimo Canabrava, também conhecido por Pirex, atribuindo o seu nome a uma das ruas do Bairro Novo, na cidade dos Espargos.

O acto presidido pelo presidente da câmara Júlio Lopes foi testemunhado pela viúva, amigos, colegas de letras, e moradores da zona.

Para Júlio Lopes, esta homenagem é “mais do que merecida” porque, conforme explicou, Pedro Vieira foi um dos que batalharam para elevar o nome da ilha do Sal ao nível da poesia, tendo publicado algumas obras e participado em várias tertúlias e movimentos em prol da poesia de Cabo Verde.

“Ele era um cidadão amigo de toda a gente pela forma como tratava as pessoas, por isso, hoje este evento contou com a participação de muitas pessoas para testemunhar esta homenagem mais que merecida, numa rua importante da nossa cidade”, sublinhou o autarca.

A viúva, Josefa Vieira, que no momento declamou um poema do poeta, do falecido marido, agradeceu o gesto num misto de sentimentos.

“Agradeço a câmara municipal, na pessoa do presidente Júlio Lopes e sua equipa em ter honrado o nome daquele que foi e será sempre lembrado por todos, atribuindo o nome do Pedro Vieira, Pirex, Canabrava, à rua recém calcetada, à frente da nossa residência”, manifestou.

Também Hugo Rodrigues, que partilhou vários momentos literários com Canabrava, falou um pouco do trabalho poético do amigo e colega.

“Discutíamos muito sobre dar visibilidade à literatura na ilha do Sal, e ele foi um grande dinamizador nessa área…escrever, e escrever para que o Sal fosse visível”, comentou, concluindo que é uma enorme alegria saber que hoje uma rua desta ilha é baptizada com seu nome.

As actividades para marcar o Dia da Poesia prosseguiram com uma noite de poesia na Biblioteca Jorge Barbosa.

Pirex faleceu na ilha do Sal, aos 62 anos, vítima de um enfarte.

A sua morte apanhou de surpresa os familiares, amigos e conhecidos, tanto no meio salense como além-fronteiras.

Tido como homem falador, de boa prosa, Canabrava, seu pseudónimo, deixa o mundo dos vivos aos 62 anos.Casado, pai de dois filhos, um rapaz e uma menina, já maiores, o escritor e poeta deixou seu registo na coletânea de contos e poesia intitulada “Aulil”, além de várias publicações em jornais e revistas, e uma obra publicada em livro, “Intitulada lembranças do tempo”, com cerca de 60 páginas.Pirex era funcionário da Empresa Nacional de Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), e membro da Associação dos Escritores Cabo-verdianos (AEC).

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us