São Vicente: Governante anuncia reforço dos Centros de Dia através do financiamento do Fundo Mais

A Secretária de Estado da Inclusão Social disse esta quinta-feira, 24, no Mindelo, que o Governo vai reforçar os serviços do Instituto da Criança e do Adolescente, através da criação de Centros de Dia com financiamento do Fundo Mais.

Segundo Lidia Lima, que falava no encerramento de uma formação de adolescentes em situação de vulnerabilidade social na delegação do Instituto da Criança e do Adolescente (ICCA), em São Vicente, o Fundo Mais será alimentado pela contribuição das taxas turísticas.

“Vamos conseguir concretizar esse objetivo que é ter vários Centros de Dia. Já temos muitas iniciativas em todo o País, mas a nossa intenção, aqui em São Vicente, é abrir mais projetos desta natureza”, afirmou a governante informando ainda que querem abrir mais três centros de emergência em todo o País, sendo um em Santiago Norte, um no Sal e outro em Santo Antão a que se vão juntar ao da Cidade da
Praia e o do Mindelo.

Para a pobreza extrema, conforme Lídia Lima, o Governo está a trabalhar numa estratégia nacional, que será aprovada “brevemente” em Conselho de Ministros, para ajudar as famílias que vivem em condições de pobreza extrema, que estão no grupo um do cadastro social, a saírem dessa situação.

Isto, explicou, “através de medidas muito concretas que consistem na transferência de renda, no acompanhamento familiar, na inclusão produtiva, sobretudo as famílias que tem à sua responsabilidade crianças e adolescentes”, esclareceu.

A Secretária de Estado da Inclusão Social também se mostrou preocupada com os problemas que estão a afetar as crianças diretamente, nomeadamente, o problema da violação sexual e a falta de responsabilidade parental.

“Aqui em São Vicente temos algumas situações mais preocupantes que tem a ver com adolescentes que vivem praticamente o seu dia inteiro nas ruas, o que vem causando algum desconforto em vários elementos da sociedade e nas próprias famílias”, exemplificou adiantando que, por isso, a formação profissional  será também reforçada, através dos serviços do ICCA em parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para dar alternativa a esses adolescentes na faixa etária dos 18 a 20 anos.

Sobre a capacitação, promovida pelo ICCA, a presidente dessa instituição, Maria do Livramento Silva, destacou que no total foram 40 jovens e adolescentes formandos em metalomecânica, cozinha, estética, corte e costura e informática, graças ao financiamento da organização não governamental dinamarquesa Plan Bornefonden.

Estimado em 23 milhões de escudos cabo-verdianos, em diferentes áreas, envolveu 185 adolescentes de todo o País e ainda a capacitação de 58 cuidadores de infância de Santiago, São Vicente, Sal e Boa Vista.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest