Sida: Situação no município do Porto Novo não é alarmante, segundo Delegacia de Saúde

As autoridades de Saúde no concelho do Porto Novo, em Santo Antão, asseguraram hoje que a situação do VIH-Sida neste município “não é alarmante”, numa altura em que este município regista 33 pessoas com o vírus.

O delegado de Saúde por substituição e ponto focal do programa de combate ao VIH-Sida, o médico José Brito, disse que a taxa de prevalência e de incidência está de acordo com a média nacional, considerando que “felizmente, Porto Novo não tem uma situação alarmante”.

A preocupação, avançou este responsável, que falava numa roda de conversa alusiva ao Dia Mundial de Luta contra a Sida, que se assinala hoje, prende-se com o facto de existirem ainda muitos doentes que recusam o tratamento e/ou não o faz de forma correta.

Para José Brito, este comportamento, que está também associado a pessoas com problemas de alcoolismo, é preocupante já que coloca em risco outras pessoas.

A responsável pela saúde sexual e reprodutiva da Delegacia de Saúde do Porto Novo, Iolanda Ferreira, assegurou que a prevalência do vírus nas grávidas é praticamente nula neste concelho, onde o último caso registado data de 2017.

A roda de conversa, que foi promovida pela Delegacia de Saúde do Porto Novo, em parceria com a Região Sanitária de Santo Antão, teve como propósito refletir sobre a problemática do VIH – Sida neste município.

As atividades alusivas a esta efeméride, no Porto Novo, prosseguem esta sexta-feira, 02, com a exibição do telefilme “Dilema”, de Juventude em Marcha, numa iniciativa desta companhia teatral.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest