Taça de Cabo Verde: Perder a final é uma tristeza para comunidade e para a ilha do Maio – Alírio Martins

O treinador do Figueirense, Alírio Martins, considerou, sábado, que a  derrota com os Travadores na final da Taça de Cabo Verde em futebol é uma “tristeza para comunidade de Figueira e toda a ilha do Maio”.

“Queríamos fazer mais para dar alegria aos nossos adeptos e à nossa ilha , mas agora só nos resta parabenizar os Travadores pela conquista da Taça de Cabo Verde”, notou Alírio Martins em declarações à Inforpress, após a  derrota, por 5-1, imposta pela equipa encarnada da capital.

Em relação ao jogo, disse que não foi o resultado esperado, por a sua equipa ter entrado melhor no jogo e que acabou por pecar pela falta de gestão emocional e do próprio jogo.

Na final disputada no Estádio 25 de Julho, na cidade de Pedra Badejo, em Santa Cruz, a equipa do Figueirense entrou a assustar, Janny marcou aos 30 segundos, mas não teve pernas para aguentar a “avalanche” ofensiva encarnada.

O avançado Kelton empatou aos nove minutos, o defesa Pastor fez a reviravolta aos 13, e o médio Alex o 3-1, resultado da primeira parte, com a particularidade de os três golos serem apontados de cabeça.

Na etapa complementar os Travadores entraram a marcar, com Kelton a bisar após uma desatenção da defensiva, que foi muito displicente nesta final da Taça de Cabo Verde.

Com o resultado feito, os comandados de Janito Carvalho geriram o jogo, sob a batuta dos médios Tiago e Edson, mais a bravura do “trinco” Richy e nos descontos Sunday, que entrou para lugar de Toyzito, fez o 5-1 final.

Os Travadores voltam a conquistar um título nacional após 28 anos, sendo que o último foi o campeonato de Cabo Verde conquistado na época  1993-1994.

A consagração aconteceu nos relvados do Estádio 25 de Julho, quando o capitão Rick recebeu das mãos do Presidente da República, José Maria Neves, a Taça de Cabo Verde.

A ‘final-four’ da edição 2021/22 deveria iniciar-se com um jogo das meias-finais de quarta-feira e outro na quinta, mas a FCF decidiu pela realização das duas partidas no mesmo dia, justificando “inúmeras dificuldades na mobilidade das equipas participantes na Taça de Cabo Verde”.

Taça de Cabo Verde foi retomada três anos depois de a União Desportiva Santo Crucifixo, da Ribeira Grande (Santo Antão), ter conquistado a edição 2018/19, ao vencer o Palmeiras do Sal por 3-2, na final disputada no Estádio Nacional.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest