Teodoro Nguema Obiang Mangue novamente nomeado vice-PR da Guiné Equatorial

‘Teodorin’ Obiang condenado definitivamente em França no caso bens mal adquiridos

Teodoro Nguema Obiang Mangue novamente nomeado vice-PR da Guiné Equatorial

Teodoro Nguema Obiang Mangue foi novamente nomeado vice-Presidente da Guiné Equatorial, segundo uma nota publicada hoje no site oficial do Governo daquele país.

“No dia de terça-feira, 24 de janeiro, H.Teodoro Nguema Obiang Mangue foi empossado no Palácio do Povo, em Malabo, perante o chefe de Estado”, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, lê-se o comunicado.

Segundo a mesma fonte, o combate à corrupção, à pirataria marítima e à criminalidade, bem como a promoção da recuperação económica do país “poderão ter sido as razões” que levaram o Presidente do país “a confiar novamente o cargo de Vice-Presidente da República, Encarregado da Defesa e Segurança do Estado”.

Nguema Obiang Mangue foi nomeado vice-Presidente pela primeira vez em 2016 e nova nomeação surge semanas após a conclusão do processo das eleições presidenciais, legislativas e autárquicas, que se realizaram em 20 de novembro de 2022.

Na cerimónia de tomada de posse, o Presidente da Guiné Equatorial “felicitou Nguema Obiang Mangue pelo novo dinamismo que está a assumir na administração do país, com maior ênfase no combate à corrupção e à criminalidade”, expressando também “o seu apoio às ações empreendidas para eliminar esses flagelos”.

Obiang, de 80 anos, governa ditatorialmente o país desde 1979, quando derrubou o seu tio Francisco Macías num golpe, e é atualmente o chefe de Estado há mais tempo no poder em todo o mundo, à exceção das monarquias.

O Presidente foi reeleito nas eleições de 20 de novembro para um sexto mandato de sete anos com 94,9% dos votos, segundo os resultados oficiais, que a oposição questionou após denunciar irregularidades na votação.

Desde a independência de Espanha em 1968, a Guiné Equatorial é considerada por organizações de direitos humanos um dos países mais corruptos e repressivos do mundo, devido a denúncias de prisões, torturas de dissidentes e repetidas fraudes eleitorais.

A Guiné Equatorial é um dos nove Estados-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), desde 2014.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us