Três jovens cabo-verdianas reconhecidas na primeira edição da Lista Forbes Under 30 África Lusófona 

1.ª edição Lista Forbes Under30 África Lusófona

Três jovens cabo-verdianas reconhecidas na primeira edição da Lista Forbes Under 30 África Lusófona 

Em entrevista ao Balai, as três jovens cabo-verdianas destacadas entre as categorias de Tecnologias e Inovação e Social Media, afirmaram que como resultado pretendem ser exemplo, abrir portas e influenciar outros jovens.

Danila Silva, Darlyn Estrela e Leida Correia e Silva são as três cabo-verdianas que integram a primeira edição da Lista Forbes Under 30 África Lusófona, uma lista destinada a evidenciar jovens talentosos e empreendedores da região lusófona, “cujas realizações estão a moldar o futuro”.

Danila Silva, são-vicentina de 28 anos, contabilista de formação, agente comunitária e violinista desde os 11 anos de idade, é reconhecida na categoria de Tecnologias e Inovação por conta dos trabalhos que tem estado a desenvolver na startup Chuva, na ilha do Monte Cara.

O projeto submetido pela agente social e mentora da Chuva, além dos trabalhos voluntários que a mesma faz no seio das comunidades, foi a tecnologia Less, referente aos serviços de serverless, que envolve o conceito de cloud (armazenamento na nuvem). A mesma tecnologia foi levada pela startup Chuva para o Web Summit Lisboa 2023, onde participaram na categoria Alpha, e onde também a jovem fez a sua inscrição para a lista, por conta de uma entrevista dada à Forbes África Lusófona.

“É a primeira vez que pessoas nascidas em Cabo Verde participam em uma das listas Under 30 da Forbes, sendo mulheres e principalmente em áreas tecnológicas, que vai muito além daquilo que é “o normal”, porque quando se pensa em tecnologia não se pensa numa mulher como protagonista”, diz.

“Com isso, espero que este reconhecimento sirva de exemplo aqui no país e que traga possibilidades para outros jovens de Cabo Verde, sejam mulheres ou homens, para que possam acreditar que são capazes de fazer coisas que importam e que tenham impacto”, completa.

Darlyn Estrela, natural da Boa Vista, é formada em Gestão Comercial & Marketing e nos últimos anos tem tido uma presença ativa na área do Digital em Cabo Verde. Fator que a mesma aponta como uma das razões que levou à sua nomeação para a lista.

Para a surpresa da marketeer, a nomeação chegou como uma recompensa por todo o trajeto percorrido desde o início da carreira, uma vez que, segundo a mesma, começou a trabalhar de graça, por cerca de dois anos, em nome da experiência que pretendia adquirir para singrar na área. Hoje possui uma empresa própria, a DEstrela.marketing, criada há um ano, onde presta mentorias gratuitas no ramo da comunicação e do marketing para startups.

“Desde quando descobri o que é a Forbes sonhei em estar lá, não sabia quando e nem como, mas não pensava que seria desta forma repentina. Trabalhei arduamente, não apenas no sentido de lá estar, mas também de ajudar a desenvolver a minha comunidade (cabo-verdiana)”, reconhece.

Ao estar na Forbes, estamos a abrir as portas para os outros e queremos que eles se inspirem em nós para que acreditem que têm capacidade de estar lá também”, defende.

Já a praiense Leida Correia e Silva, de 27 anos, é engenheira mecânica e co-fundadora da startup EasyPay CV, uma plataforma que visa permitir aos utilizadores fazerem a gestão da sua vida financeira, além de transferências e outras operações.

Após vencer a 4.ª edição da Bolsa Cabo Verde Digital, em agosto de 2023, Leida vê agora o seu nome destacado entre os Under 30 da África Lusófona, na categoria de Tecnologias e Inovação, por conta também de outras atividades no ramo do digital em Cabo Verde.

Como o papel de gestora de projetos e eventos na Women in Tech Cabo Verde, onde atua no sentido de reduzir a lacuna de género na indústria tecnológica, através da promoção da diversidade e da inclusão.

“Acredito que a minha participação na Under 30 África Lusófona é um grande feito, primeiramente, por sermos as primeiras cabo-verdianas nesta lista e acho que isso vai influenciar muita gente. O meu sonho sempre foi fazer história no e para o meu país, isso é apenas mais um capítulo”, afirmou.

“Com esta nomeação pretendo colher muitos frutos, usarei exaustivamente desta grande conquista que com certeza vai ser um grande feito para a EasyPay, porque agora estamos num momento delicado para a angariação de fundos e parceiros. O nosso sonho é ser o primeiro Unicórnio em Cabo Verde”, concluiu.

Segundo o site da Forbes África Lusófona, a Lista Forbes Under 30 África Lusófona destaca os mais brilhantes game changers com até 30 anos que revolucionam os negócios e transformam o mundo de forma ousada e criativa. Esta é a primeira edição da Lista Under 30 África, virada apenas para os países que falam a língua portuguesa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest