Venezuela: Maduro volta a denunciar que Alex Saab esta ilegalmente detido em Cabo Verde

Venezuela: Maduro volta a denunciar que Alex Saab esta ilegalmente detido em Cabo Verde

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, voltou hoje a denunciar que o empresário Alex Saab está “ilegalmente” detido em Cabo Verde, onde aguarda extradição para os Estados Unidos.

“Sequestraram-no, torturaram-no e mantêm-no detido de maneira ilegítima, ilegal, e desumana em Cabo Verde”, disse Nicolás Maduro durante um a reunião do Gabinete de Missões Sociais, transmitido pela televisão estatal venezuelana.

O Presidente da Venezuela explicou que a oposição venezuelana, com o apoio internacional tentou destruir os Comités Locais de Abastecimento e Produção (CLAP) um programa estatal de distribuição de alimentos a preços subsidiados, que eram trazidos do estrangeiro por Alex Saab.

“Eles fizeram tudo o que puderam para destruir os CLAP, que é o alimento da família venezuelana. É algo criminoso e eles conseguiram. A extrema direita conseguiu tirotear gravemente as {caixas de alimentos] CLAP”, frisou o Presidente da Venezuela.

“Ameaçaram todas as empresas que nos vendiam alimentos através das caixas CLAP no mundo”, denunciou.

“Ameaçaram-nas e raptaram o empresário e enviado diplomático especial do Governo bolivariano, Alex Saab Morán, que foi quem trouxe as CLAP do mundo para a Venezuela”, frisou o governante.

Alex Saab, com 49 anos, de nacionalidade colombiana, foi detido pela Interpol e pelas autoridades cabo-verdianas em 12 de junho de 2020, durante uma escala técnica no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, ilha do Sal, com base num mandado de captura internacional emitido pelos EUA, numa viagem para o Irão em representação da Venezuela, na qualidade de “enviado especial” e com passaporte diplomático.

A sua detenção colocou Cabo Verde no centro de uma disputa entre o regime do Presidente Nicolás Maduro, na Venezuela, que invoca as suas funções diplomáticas aquando da detenção, e a Presidência norte-americana, bem como irregularidades no mandado de captura internacional e no processo de detenção.

Washington pede a sua extradição, acusando-o de branquear 350 milhões de dólares (295 milhões de euros) para pagar atos de corrupção do Presidente venezuelano, através do sistema financeiro norte-americano.

Em 14 de setembro a Venezuela anunciou que incluiu o empresário Alex Saab como “membro pleno” da delegação que representa o Governo nas negociações com a oposição venezuelana, que decorrem no México.

“Informamos a opinião pública da decisão de incorporar o diplomata venezuelano Alex Saab como membro de pleno direito da Delegação do Governo Bolivariano”, disse o presidente da Assembleia Nacional à televisão estatal venezuelana.

Considerado testa-de-ferro de Nicolás Maduro, Saab encontra-se detido em Cabo Verde, a aguardar extradição para os EUA.

Jorge Rodríguez, que é também chefe da delegação que representa o Governo nas negociações, explicou ainda que Alex Saab foi também incorporado “como delegado com plenas funções perante a Mesa Social, que foi aprovada no Acordo Parcial de Atenção ao Povo da Venezuela”, assinado recentemente por ambas as delegações (Governo e oposição), no México.

Rodríguez disse ainda que Saab foi detido quando “estava a cumprir funções para obter medicamentos e alimentos para o povo da Venezuela, no meio do bloqueio mais feroz que a história do país conheceu nos últimos 150 anos”.

 

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *