Vicenta Fernandes eleita presidente do Grupo de Trabalho 1325 Cabo Verde

Vicenta Fernandes, eleita esta quinta-feia, 20, presidente do Grupo de Trabalho 13 25 Cabo Verde, afiançou que o referido grupo irá trabalhar na criação do plano nacional e na promoção da paz e combate à violência juvenil e baseada no género.

Vicenta Fernandes, que é presidente da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra a Violência Baseada no Género (ACLCVBG) afirmou, em declarações à imprensa, à margem da assembleia-geral para eleger órgãos de gestão do Grupo de Trabalho Mulheres, Jovens Paz e Segurança (GTFJPS-AOS), realizada esta quinta-feira, que muita coisa irá mudar agora com a adesão de Cabo Verde ao referido grupo.


“Cabo Verde ainda não fazia parte do movimento 1325, enquanto sociedade civil nós vamos fazer uma forte advocacy com o Governo para que Cabo Verde tenha o seu plano, só assim podemos trabalhar em conjunto, com o plano nacional e o plano da rede nesta temática, que é sobretudo a promoção da paz”, realçou.


Esta responsável lembrou que Cabo Verde era o único país da sub-região que ainda não tinha um plano para a resolução 1325 e que sendo Cabo Verde uma região livre de conflitos armados, a aplicação da resolução 1325 irá ser feita nas temáticas da VBG, empoderamento feminino, juventude e paz.


“O Grupo de Trabalho 1335 Cabo Verde vai debruçar-se, sobretudo, na questão da promoção da paz, o combate à violência baseada no género, violência juvenil, mas também estamos na situação em que estamos a trabalhar em rede e sabemos que não nossa sub-região há muitos conflitos armados, em Cabo Verde não temos conflitos armados, mas temos ausência da paz e o problema da violência e delinquência”, indicou.


Afiançou, por outro lado, que de forma a alcançar os objectivos, irão numa forte parceria com todas as associações e Organizações não governamentais (ONG) que trabalham com as questões da na violência e cultura da paz, o Estado, na criação do referido plano, lembrando que a promoção da segurança e da paz é um dever de todos.


Vicenta Fernandes apontou ainda o trabalho com a classe juvenil, a promoção do empoderamento da mulher e toda a questão da segurança no país como principais desafios a serem ultrapassados.


A GTFJPS-AOS é uma plataforma regional de intercâmbio, coordenação e harmonização das acções das agências e missões das Nações Unidas (ONU), da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental e do Sahel (CEDEAO), organizações nacionais, institutos de investigação e sociedade civil na promoção e implementação da resolução 1325 (2000) do Conselho de Segurança das Nações Unidas e subsequentes resoluções na África Ocidental e no Sahel.


O grupo foi criado em 2009 sob o nome “Mulheres, Paz e Segurança” e depois colocada sob a supervisão e coordenação do Gabinete das Nações Unidas para a África Ocidental e o Sahel (UNOWAS) e do Gabinete das Nações Unidas para a Igualdade de Género e o Empoderamento das Mulheres (UN Women).


Em 30 de Outubro de 2000, o Conselho de Segurança das Nações Unidas adoptou a Resolução 1325 sobre as mulheres, a paz e a segurança. Esta resolução reconhece o impacto dos conflitos armados sobre as mulheres e meninas e trabalha para sua protecção e plena participação nos acordos de paz.


Inforpress/Fim.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us