Vinte e cinco anos de prisão para agente da PN que assassinou esposa no Fogo

A sentença do caso, que chocou o concelho dos Mosteiros em dezembro de 2021, foi conhecida na passada sexta-feira, 29.

O Tribunal da Comarca dos Mosteiros condenou na passada sexta-feira, 29, o agente da segunda classe da Polícia Nacional, que assassinou a esposa no ano passado na ilha do Fogo, a 25 anos de prisão e a pagar uma indemnização de 1300 contos aos familiares da malograda.

Em declarações à Televisão Nacional, na saída do tribunal o advogado de defesa Arnaldo Silva disse que era previsível que o arguido fosse condenado pelo crime de que estava acusado, mas não estava à espera que a pena fosse tal qual pedida pelo Ministério Público e que vai recorrer da sentença.

Segundo a TCV, os familiares da vítima, Benvinda dos Santos, respeitam a decisão do tribunal, mas consideram que o arguido deveria ser condenado à pena máxima de 35 anos.

Em dezembro de 2021, o agente de 30 anos, assassinou a esposa com dois tiros na sequência de um desentendimento. Entregou-se as autoridades e estava em prisão preventiva desde então.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest