Sozinha

Um poema da Adénis Carvalho Silva.
Sinto-me tão longe do mundo
Tão longe de mim mesma
Confundo-me, esqueço-me
Perco-me e tenho medo

Medo de não viver
Pânico de acabar sozinha, sem mim

Encontro-me diferente,
Menos eu, mais falsa,
Mais vivida e vazia

Sem sentido, sem chão
O horizonte desaparece-me
O céu nunca me atinge

Queria ser menos fraca,
Poder ser eu,
Atingir o meu limite
Voar e abrir-me

Penso para mim mesma, sou o quê?
A resposta vem e não agrada
Poderei me mudar?
Basta que queira e que tenha forças

A tristeza volta,
Tomando conta do meu ser
O medo invade o meu pensamento
Arrepio-me e sinto-me mais só.

A solidão dói e agrada-me
Quero mais espaço, mais ar, movimento, silêncio

A quietude é vital
Procuro incessantemente a satisfação de viver
Encontro-a e perco-a

Pergunto para mim mesma:
Aonde chegarei?
A resposta é sempre a mesma

Chegarás a ti própria,
Sozinha, acompanhada,
Amada, sozinha, querida
E invariavelmente sozinha.

Poema originalmente escrito pela autora em abril de 2003.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Adénis Carvalho Silva

Adénis Carvalho Silva

"Filha, mãe, esposa, advogada. Amiga dos seus amigos. Leal, honesta e direta. Uma apaixonada por música, livros e pela escrita. Amante de uma boa conversa e de aprender coisas novas. Em permanente busca de novos desafios."

Outros artigos

Deixe um comentário

Follow Us