Viagens mais baratas à vista

Estava eu a pensar sobre temas que preocupam a nossa diáspora e são tantas que uma pessoa até perde a conta. Mas qual é o tema que mais preocupa a todos os emigrantes, independente do país em que estiver, principalmente nas férias: encontrar voos baratos, diretos, não interessa, desde que haja e não tenhamos que vender a alma para os pagar.

Os emigrantes e os turistas em geral não têm tido muita sorte no que toca a viagens em conta às nossas estimadas ilhas. Isto porque as viagens são caríssimas e umas férias ao nosso arquipélago custam os olhos da cara. Como é que é possível um país não ter mais opções de voos com tantos emigrantes espalhados pelo mundo? As estatísticas mostram que os emigrantes fora são mais do que os habitantes dentro das ilhas. Como é possível não ter mais opções sendo que o turismo é uma das bases fortes da nossa economia?

Uma pessoa quando pensa em ir de férias para Cabo Verde e vê os bilhetes, vendidos pela única empresa que voa de Lisboa para a nossa terra, fica com o queixo caído. A pesquisa por voos começa a ser feita muito tempo antes, mas mesmo assim são caros. Não há ninguém no nosso arquipélago que possa controlar os valores exorbitantes das passagens?

É um problema que nos preocupa e muito! Até parece que é um voo de muitas horas para terem estes valores. Uma vez fiz uma simulação de preços e o valor cobrado para ir até São Vicente era o mesmo cobrado para Moçambique. Tem algum cabimento? É claro que cada um põe o valor que quer nos seus produtos e só paga quem quer e pode, ou não pode, mas precisa ir.

Digo precisa porque a maior parte dos emigrantes tem família nas ilhas. No meu caso tenho a maior parte da família e amigos, por isso sim tenho que voltar, pelo menos de dois em dois anos, para ver todos e matar as saudades que nos perseguem sempre. Não vou esconder que é onde me sinto bem, em casa, meu pedaço de chão que não troco por nenhum canto deste planeta. Agora os valores cobrados põem uma pessoa a pensar 2 vezes antes. O dinheiro não brota das árvores e nem em cada esquina, mas creio que as empresas devem pensar que sim.

Faz falta uma bela concorrência

Vamos combinar que antes, quando ainda havia a nossa companhia nacional com todos os seus problemas, os bilhetes eram mais razoáveis. Agora se é uma única e exclusiva empresa com voos regulares os preços tinham que acompanhar a procura e a oferta, não podia ser de outra forma.

Nós é que temos que lutar na arena e conseguir um lugar ao sol na nossa terrinha de longe. Como cantou a nossa querida rainha dos pés descalços, Cesária Évora, “Quem mostrob es caminho longe…/sodade des nha terra San Nicolau…”. No meu caso saudades de São Vicente e de todo o arquipélago.

É essa saudade que nos faz voltar vezes sem conta e poderíamos voltar mais se os bilhetes fossem mais acessíveis. Muito ouvimos falar que as remessas dos emigrantes são uma mais valia para Cabo Verde. Então, vamos criar condições para que os mesmos emigrantes possam ir desfrutar de uns dias relaxantes com os seus entes queridos, aproveitar as nossas praias, visitar as nossas montanhas e não só enviar remessas para a terra. Criar condições de voos em conta para os emigrantes irem gastar/investir o seu dinheiro nas nossas ilhas enquanto estão de visita.

Já ouvi de muita gente que pelo preço do voo para Cabo Verde prefere ir para outro lugar com voos mais baratos

Agora vou sair do papel de imigrante e pensar como uma turista que quer ir conhecer as ilhas de Cabo Verde. Eu adoro viajar e conhecer o mundo, não tivesse eu uma costela e a espinha toda do povo das ilhas. Não tivesse eu visto o meu pai sempre a sair pelo mundo fora ou nas ilhas de barco para trabalhar. Tenho sim o bichinho de viagem em mim! Posto isso e a pensar como viajante, encontramos mais opções de voos low cost para vários lugares do globo e lindos, diga-se de passagem. Já ouvi de muita gente que pelo preço do voo para Cabo Verde prefere ir para outro lugar com voos mais baratos. Com voos tão caros tenho amigos meus que já desistiram. Podem pensar “ah então não venha”, mas não é esta a solução e sim arranjar novas opções mais baratas, incentivar mais empresas com voos low cost e investir na empresa nacional.

Por falar em nossa empresa área, estes dias está um burburinho nas Plataformas Sociais causado pelo reinício dos seus voos. Todos a especularem e entusiasmados com esta nova opção de voo. Estive a pesquisar e os preços que vi no site são promissores de mais idas a Cabo Verde. O único senão que tem deixado todos apreensivos é o fato dos canais de atendimento ao cliente não funcionarem. Claro que ninguém quer comprar bilhetes antes de ter a certeza que vieram para ficar e caso aconteça algum problema tenham onde recorrer.

O importante é que a concorrência ‘is back’ e nós, os emigrantes, vamos ter outra opção de comprar voos, de preferência mais acessíveis. Bem-vindos e que venham para ficar! Senhores reguladores do mercado da concorrência fiquem atentos porque nós vamos estar!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Ziza Almeida

Ziza Almeida

"Nascida e criada na ilha do Monte Cara, ganhou asas para o mundo. É Jornalista de formação pela UERJ, Brasil. Adora viajar, ler, ir ao cinema, ao teatro e estar com as pessoas que ama. Atualmente vive em Lisboa, é colunista na Revista Brasileira "Coluna de Terça''e é mãe de duas princesas Luso-Caboverdianas."

Outros artigos